Doce melodia



Doce melodia

Doce melodia inunda meus ouvidos
Caminho um caminhar de viajante
Me detenho quando vejo você,
Minha tão sublime amada, linda,
Dentro das entranhas da Baleia; Jonas
Não faria melhor, doce canto de
Baleias, tais seres celestiais, do mar...
O mar ainda pode abrigá-los.

Até quando?


Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Livro Vinho & Poesia da Editora Pragmatha com o poema nó gordio, de minha autoria, Mauricio Duarte

Gaia somos nós, nós somos Gaia