Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 3, 2017

Participação especial na Revista Divulga Escritor no. 31 . A arte de comunicar e a necessidade de referências

Imagem
Leia o novo texto de minha autoria como participação especial na Revista Divulga Escritor no. 31 .

https://issuu.com/smc5/docs/31_divulga_escritor_revista_liter__/114



A arte de comunicar e a necessidade de referências
Comunicar é o que mais se faz hoje em dia. Nunca tantos estiveram tão conectados a outros tantos como atualmente.  A facilidade da comunicação hodierna rompeu todas as barreiras geográficas, econômicas, sociais e políticas.  Até certo ponto estas frases anteriores podem ser verdadeiras...  Mas na realidade a comunicação digital, online, ligada à computação e todas as outras mídias relacionadas não trouxeram para todos o entendimento que poderia ter sido alcançado. Nem a globalização, nem as mudanças no comportamento ou qualquer outra novidade trouxeram este entendimento tão ansiosamente esperado. Comunicar é o que menos se faz.  Ou o que se faz raramente.  Porque fazer circular conhecimentos e inovações tem que ser realizado de forma proveitosa.  O que não é o caso.  O con…

Idealismo moderno . Descartes

Imagem
Capítulo XII Idealismo moderno
Uma história do panteísmo seria, em sua maior parte, uma história do idealismo.  Não é sem razão, contudo, que nós usamos o termo filosofia idealística especialmente a esse capítulo, pois aqui nós encontramos essas doutrinas concernentes a Deus e à criação que temos tão generalizadamente prevalente no mundo, relegadas inteiramente à margem da filosofia, suportadas por razão vigorosa e com um esforço feito de absoluta demonstração da sua verdade.  E tudo isto é realizado no único nível com o qual poderia ter sido feito, o do puro idealismo.
Descartes


O fundador da filosofia ideal foi René Descartes, um nobre homem francês. Ela floresceu cerca do começo do século dezessete, e foi distinguido no tempo da sua vida como um matemático, metafísico, filósofo natural e um soldado.  Embora um idealista, em filosofia ele não foi um visionário, mas um homem experiente de olhar aberto para o mundo que sabia muito bem que
“Toda teoria é cinza, Mas verde é a dourada árvor…