Postagens

Singularidades

Imagem
Singularidades nanquim e tinta vermelha para desenho s/ papel 21 x 29,7 cm 2019 Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)

O Galo Azul de Ana Pirolo

Imagem
O Galo Azul de Ana Pirolo


Ilustrar é encantar...  Encantamento e fruição da arte que “ilumina” o livro e, sobretudo, o livro infantil e infanto-juvenil...  Ana Pirolo conhece e maneja a arte de ilustrar como poucos.  A anatomia da imagem, conforme nos diz, Rui de Oliveira, em sua terceira parte do Reflexões sobre a arte de ilustrar livros para crianças e jovens, é lapidar nesse sentido.  “As passagens secretas” ou “portas” para que o leitor tenha as suas próprias interpretações sobre o texto, primando por um “certo distanciamento crítico perante o texto”, como nos diz o professor e ilustrador Rui sobre ilustrar, nos remetem à magia do Galo Azul de modo peculiar... Na capa do livro um azul céu domina a cena e um azul um pouco mais forte é parte principal do corpo do galinho que não está todo na capa, ele meio que se esconde, como um pavão às avessas, mostrando suas penas que “esvoaçam com o vento”, mas não todas.  O Galo é símbolo da força e como símbolo dos franceses, por exemplo, nos…

Além da Terra, Além do Céu . Vol. III da Editora Chiado

Imagem
Poema selecionado na Antologia de Poesia Brasileira Contemporânea - Além da Terra, Além do Céu . Vol. III da Editora Chiado:




Vazio

Era dos signos-marcas
em todos espaços,
todos lugares, virtuais ou não.
Símbolos-identidades,
tremeluzindo e
piscando ininterruptamente...

Sinergia dos logotipos
em profusão cabalística
a sorrir e deitar-se para
o sexo; vende-se o sexo,

O mundo

Imagem
Academia Virtual de Letras
Patrono: Paulo Coelho
Acadêmico: Mauricio Duarte
Cadeira: 39



O mundo

O mundo é como um pião.
Gira, gira e não para...

Só para quando chega
a morte, aí não é mais pião,
ilusão; é só lembrança...

O mundo é como um peão.
Mais importante peça...

Mas não serve se deixar
a frente de batalha;
aí não é peão, é, sim, um rei...

O mundo é como um pão.
Alimento básico...

Só não é alimento para

Minha participação na Coletânea Contos e Poemas - Textos Anônimos da 5a. FLAL da Leia Livros

Imagem
Recebi hoje o livro com a minha participação na Coletânea Contos e Poemas de Textos Anônimos da 5a. Edição da FLAL 2018 (Festival de Literatura e Artes Literárias) com o patrocínio da Divulga Escritor (Shirley Cavalcante) e da Leia Livros pela amiga escritora Nell Morato, organizadora da publicação. O poema selecionado:
CIDADE-NOITE Cidade morta-viva
em enorme dormida,
de arranha-céus frios todos,
cai encima da tal lua... A noite é essa contumaz
convidada que não
pede passagem, só
adivinha nosso anseio... Tranquilamente passa
por entre os dedos como
areia de uma praia longe,
perdida à madrugada... Por mais que trafeguemos
pelas suas vielas dessas
arquiteturas podres,
não saberemos nunca... Cidade, uma suntuosa
cadeia de ouro bem puro,
a que não se desprende
dessa função de zeitgeist... Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)

Rosario Vidal Ferreño

Imagem
Rosario Vidal Ferreño


Sensibilidade em camadas de artesania poética...  O estilo amplamente usado a serviço do gráfico-pictórico que transpassa em muito a representação... e chega na re(a)presentação do real de modo único, especial...                 Rosario Vidal Ferreño trabalha com fluidez e naturalidade; com suavidade e liberdade...  Sendo designer de moda como formação e profissão, a artista incorpora o universo da estética corporal, do fashion e do styling no seu trabalho artístico.  A persistência do tema dos retratos gráficos de moças de frente e de perfil nos mostra e nos demonstra sua combatividade no terreno incógnito da beleza e no terreno árido do sensível...  A beleza e o sensível são da ordem do efêmero e, ao mesmo tempo, da ordem do que permanece, senão na realidade, ao menos na memória da retina, cristalizada no momento...  A potência do momento é o que Rosario busca e, nessa busca, vale fechar os olhos para ver melhor.  Como, aliás, na sua marca registrada, sua ident…