Carná




Carná

Salve, salve Carná,
a festa da carne,
carnavalescamente
carnavalesca.
Vem para arrebentar,
prossegue como
em todos os lugares...
Os pierrôs, as colombinas,
a purpurina, o glitter,
confete e serpentina,
luzes, festas,
chuva de papel picado,
passistas e frevo,
bateria e samba...
E aquela sensação
ótima de ter aproveitado
a vida sem preocupações,
sem ter que dar satisfações,
embora tudo não passe
de mera ilusão,
acabada na quarta-feira de cinzas...

Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)

Visite a página da poetisa, escritora e palestrante Bartira Mendes . RESPIRANDO POESIA . https://www.facebook.com/bartiramendesrespirandopoesia/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

1° Concurso de Contos da AGLAC

A breve vida da página "Armandinho morrendo violentamente"