Farsa da sociedade do espetáculo


Academia Virtual de Letras
Patrono: Paulo Coelho
Acadêmico: Mauricio Duarte
Cadeira: 39



Farsa da sociedade do espetáculo

De tantos redemoinhos
ao redor de um círculo,
em torno de si próprio,
é esta sociedade,
gotas de conta-gotas
das pieguices, outras tais
comiserações e
ah, a vida cotidiana.

Criações dos marqueteiros
a luzir o estrelato
quinze minutos, fama
morango com chantilly,
fama sorvete se
desnudando de novo
e de novo, no sabor
do sorver do tal ódio.

Máscaras de fantoches,
olhando em volta antes
que esse pano do palco
desça e acabe com todo
espetáculo, farsa
rememorada sempre,
olhos, ouvidos dos
que não enxergam nem ouvem.

Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SAL Entrevista

Prefeito Joaquim Lavoura

Transição Coesa x ABC/Icaraí e Coesa x Mauá