Escritores que são Colunistas


A principal característica de um escritor é o óbvio, que é ESCREVER. Um escritor deve saber se expressar muito bem através das palavras e assim, desenvolver os seus estudos e criações através das palavras, formulando bons textos acadêmicos e culturais para servir de modelo e exemplo para todos. O reconhecimento vem através do que você publica.
Um escritor precisa ter muito conteúdo publicado. Realmente precisa ter muito de seu conteúdo compartilhado no maior número possível de colunas, jornais, revistas e páginas. Se você ainda não é colunista, deixo esse desafio para você.
O primeiro passo é ter um blog próprio, que deve ser mais pessoal, como um diário. Escreva tudo o que você achar conveniente de ser lido e compartilhado. De poesias à opiniões do cotidiano. Eu gosto de focar tudo no espaço literário e também no teológico, separando os dois.
O segundo passo é se unir à outros blogs e páginas literárias. Se eles abrirem espaço para colunistas, agarre a oportunidade. Mas saiba do comprometimento que você estará tendo. Não adianta ficar cadastrado em dezenas de blogs e ficar devendo e desfalcando a sua cota de postagens.
Através desse comprometimento, com textos, resenhas, opiniões, crônicas e tudo mais que for necessário, você começará a obter o seu espaço literário na internet. Algo muito bonito e gratificante é pesquisar o seu nome na internet e encontrar centenas de links confirmando que você é escritor (e popular).
O que acontecerá com isso? Logo, você começará a ser convidado para outros projetos literários, como feiras, palestras e colunas em jornais e revistas. Eu já participei de todos esses segmentos. Alguns deles você pode ter a chance de vender os seus livros (feiras e palestras), outros deles você pode ser remunerado ou ressarcido na viagem e alimentação (palestras) e alguns você pode obter ganho na porcentagem de lucro de algum patrocinador (colunas em jornais e revistas). Você vai descobrindo que está indo bem quando não está mais gastando dinheiro nas suas investidas culturais literárias. Sem contar que essas atividades também geram contratos e certificados, que são biográficos e curriculares.
Não se esqueça que escrever é um ofício. Será que você realmente está trabalhando como um escritor profissional? Não queira dar saltos literários ou esperar o reconhecimento cair do céu e vir de bandeja. Quando um leitor começa a se interessar pelo o que você escreve, ele pesquisa e ao descobrir o farto conteúdo e referências, ele vai começar a divulgar também. Sem contar com os convites para projetos que poderão surgir.
Portanto seja esperto e mande brasa em sua expansão literária. 


Leo Vieira
Secretário




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Por que o Brasil não ganha o Nobel de Literatura

Unificação e integridade do ser humano

Gaia somos nós, nós somos Gaia